Banner-CerradoCCWEB.jpg
thumbnail_d0a68a3e-3b5a-4c04-ad63-272ea9ff7294.jpg

O segundo maior bioma do Brasil é o Cerrado que cobre uma área de 2 milhões de km2, que corresponde a 204 milhões de hectares!  Isso representa quase um quarto de toda a extensão territorial do país. Pra você ter uma ideia, um hectare, que mede 10.000 m2, equivale ao tamanho do gramado de um campo de futebol. Viu como é grande?

O bioma Cerrado é encontrado na parte mais central do País, incluindo os estados de Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo e Distrito Federal. Mas com esse tamanho todo (mais de 200 milhões de campos de futebol!), ele está presente também em pequenas porções dos estados do Paraná, no sul do Brasil, e de Rondônia, na região Norte.

Lá, onde o bioma Amazônia é predominante, a gente ainda encontra áreas enormes de vegetação típica de Cerrado, nos estados do Amapá, Roraima, Amazonas e Pará.

Habitantes

Então, amiguinho e amiguinha, se vocês moram em um desses estados e no Distrito Federal, vocês podem fazer parte dos cerca de 46 milhões de habitantes que vivem na área coberta pelo bioma Cerrado. Mas saiba que a maior parte deles se concentra nas áreas metropolitanas das regiões Sudeste e Centro-Oeste.

O homem ocupa o Cerrado há mais de 11 mil anos. Os povos tradicionais do Cerrado são constituídos por uma variedade considerável de grupos com diferentes referências culturais. Atualmente, a área coberta por esse bioma abriga 95 territórios indígenas, 44 territórios quilombolas e 13 tipos de comunidades tradicionais não indígenas, que fornecem um testemunho vivo da rica tradição de convivência humana com a natureza.

 

Juntos eles compõem os Povos do Cerrado que sabem cuidar e usar os recursos naturais de forma sustentável.

Povos e Comunidades Tradicionais são grupos culturalmente diferenciados que possuem formas próprias de organização social, ocupam e usam territórios e recursos naturais como condição para sua reprodução cultural, social, religiosa, ancestral e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas gerados e transmitidos pela tradição.

As comunidades indígenas estão aqui desde antes da vinda dos colonizadores. Os quilombolas são os descendentes dos negros que viveram nos Quilombos fundados por afrodescendentes que fugiam de seus "senhores" na triste época da escravidão... E até os dias atuais algumas destas comunidades ainda permanecem nestes locais preservando sua identidade cultural.

Algumas das comunidades tradicionais são mestiças e têm relação com o ambiente onde vivem. São eles: os geraizeiros (norte de Minas Gerais), geraizenses (Gerais de Balsas/MA), as quebradeiras de coco babaçu (Zonas dos Cocais/MA, PI e TO), os veredeiros (veredas do norte de Minas), varjeiros e ribeirinhos (ao longo dos rios São Francisco, Grande e Paraná), entre outros.

4d9f7978-d425-49de-9f4a-ca73ca675d84.jpg
Dia_do_Cerrado.png
thumbnail_IMG_0649.jpg
thumbnail_IMG_0648.jpg
thumbnail_IMG_0645.jpg
thumbnail_IMG_0623.jpg
thumbnail_IMG_0652.jpg
thumbnail_IMG_0653.jpg
thumbnail_IMG_0647.jpg
3be19c97-e993-4f34-a61d-478c7eeba254.JPG
faunalogo.png
Cerrado-detalhes5.jpg

Você sabe o que é flora e o que é fauna? 

Então vamos ver: flora é o conjunto de espécies de plantas que se desenvolvem naturalmente numa região. E fauna é o conjunto de espécies de animais próprios de uma região. Fácil, né?

Em cada bioma, a gente encontra uma flora e uma fauna típicas, que, juntas, compõem a diversidade de plantas e a diversidade de animais nativos da região coberta por aquele bioma.

Agora vamos ver alguns números de espécies de cada grupo que os estudiosos já registraram, até o momento, para o bioma Cerrado.

São 262 espécies de répteis, das quais há:

 

  • 158 espécies de serpentes;

  • 74 de lagartos;

  • 30 de cobras-cegas;

  • 209 de anfíbios (como sapos, pererecas, rãs, etc);

  • 800 de peixes;

  • 856 de aves;

  • 251 de mamíferos;

E tem mais! São conhecidas também:

  • mais de 1.000 espécies de borboletas;

  • cerca de 10 mil de mariposas;

  • 300 de formigas;

  • 139 de vespas;

  • 820 de abelhas;

  • 140 gêneros de cupins.

Sobre a diversidade vegetal do bioma Cerrado, os cientistas sabem que sua flora é composta por 12.385 espécies de plantas. E 4.400 delas são endêmicas. Essa palavra é um pouco diferente, mas o significado é simples: endêmicas são as plantas que nasceram numa região e que são restritas a essa região. Como exemplo, o pequi, pau-terra, barbatimão, ipê, capim-dourado, arnica-do-cerrado, canela-de-ema.

A gente encontra três formações vegetacionais no Cerrado: a primeira é a Florestal, que se subdivide em Mata Ciliar, Mata de Galeria, Mata Seca e Cerradão. A segunda é a Savânica, e suas subdivisões são Cerrado Sentido Restrito, Parque de Cerrado, Palmeiral e Vereda. E a terceira formação vegetacional que existe nesse bioma é a Campestre, na qual a gente tem o Campo Limpo, o Campo Sujo e o Campo Rupestre.

Água

Na área coberta por esse bioma, a gente encontra muitas nascentes de rios. Por isso, o bioma Cerrado pode ser considerado como o berço das águas do Brasil, pois suas nascentes alimentam oito das 12 regiões hidrográficas do País, com destaque para três: as bacias dos rios Araguaia/Tocantins, do Rio São Francisco e do Rio Paraná. Isso porque é em seu território que a gente encontra as fontes de uma boa quantidade da água que banha essas bacias hidrográficas.

Clima

De clima tropical, com verão chuvoso e inverno seco, o bioma Cerrado tem como principal característica a ocorrência de duas estações: uma chuvosa (outubro a abril), quando caem mais de 90% das chuvas, e uma seca (maio a setembro), com ausência quase total de chuvas. As temperaturas médias anuais variam de 18 ºC a 27 ºC, sendo que a temperatura mínima pode chegar a 8 ºC e a máxima, a 34 ºC.

Geologia

A Geologia é a ciência que estuda a origem, a história, a vida, a estrutura, a composição da crosta terrestre e sua transformação e evolução no tempo. Alguns objetos dessa ciência são: as rochas, os minerais, os fenômenos e as formações naturais, como os vulcões, e outros elementos que influenciam na estrutura do nosso planeta.

As diversas paisagens no Cerrado são o resultado das formações geológicas que compõem uma geodiversidade formada por rochas de diversas composições e origens.

Essas rochas, do tipo sedimentares, metamórficas e magmáticas, têm idades diversas, pois começaram a se formar há milhões, e mesmo há bilhões de anos. Durante todo esse tempo, essas rochas estiveram expostas às intempéries, ou seja, sofreram os efeitos da exposição contínua a chuvas, ventos, calor extremo e a outros fenômenos e condições naturais próprias ao clima tropical. Essas ações contribuíram para a formação dos solos do bioma Cerrado e para as características que eles apresentam.

GpEQmOVo_400x400.jpg
Cerrado-detalhes1.jpg

A gente encontra uma flora nativa tão diversificada nos diferentes ambientes do Cerrado porque os solos desse bioma oferecem as condições necessárias para essa abundância.

Mas, do ponto de vista da agricultura, em condições naturais, esses solos não têm os alimentos de que as plantas agrícolas, como aquelas que servem de comida pra gente, precisam. Ele é pobre em nutrientes e isso faz com que esses solos, naturalmente, apresentam baixa fertilidade.

Esse contexto inspirou os cientistas a estudarem como mudar a condição de pobreza agrícola dos solos do Cerrado. Como resultado desse estudo, nas últimas décadas, foram criadas tecnologias capazes de transformar a região coberta por esse bioma numa área bastante produtiva para a agricultura e a pecuária brasileiras. Hoje, o Cerrado é referência em produtividade agrícola.

Biodiversidade

O Cerrado é a savana tropical mais rica do mundo, pois nele há cerca de 5% de toda a diversidade do planeta. O Cerrado abriga 30% dos diversos seres vivos identificados no nosso país. 

Solo

No bioma Cerrado, os solos, que são o resultado da ação conjunta do clima, material de origem (rochas), organismos, relevo e tempo, apresentam diferentes cores que vão de matizes do avermelhado, vermelho-amarelado, preto, cinza e até mosqueado. São solos relativamente planos, com várias profundidades, texturas, porosidades e com diferentes fertilidades.

No bioma Cerrado, é possível encontrar solos como o latossolo e o solo podzólico ou argiloso.

→ Latossolo: solo ácido com coloração avermelhada e pobre em nutrientes.

→ Podzólico: solo que apresenta coloração mais escura em tons avermelhados. É suscetível a processos erosivos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

 

Os solos do Cerrado são pouco profundos, drenados e antigos, datados do Período Terciário. Sua coloração é avermelhada e, por serem excessivamente porosos e permeáveis, são suscetíveis a intensos processos de lixiviação (processo erosivo ocasionado pela lavagem do solo pelo escoamento das águas superficiais). As texturas são variadas, predominando, porém, solos arenosos ou argilosos, como areia, argila e silte.

Em relação às características químicas, o solo do Cerrado possui em sua composição bastante alumínio, o que faz com que seu pH varie entre 4 e 5, característica de um solo ácido. Esse grau de pH dificultava o desenvolvimento da agricultura nesse bioma, porém, com o avanço tecnológico, já é possível corrigir essa acidez por meio de processos como a calagem. Os principais produtos agrícolas do Cerrado são: soja, cana-de-açúcar, milho e algodão.

Além disso, em algumas partes do Cerrado, o solo possui couraças que dificultam a filtração das águas das chuvas, o que impossibilita o desenvolvimento de formações vegetais exuberantes e impede a produção agrícola.

Existem tipos de Cerrado?

Não existem tipos de Cerrado. O que de fato existem são fitofisionomias, que se diversificam de acordo com as características das regiões abrangidas. A existência dessas fitofisionomias deve-se ao fato de que esse bioma, além de muito extenso, limita-se com diversos outros.

Observe abaixo as classificações e características das fitofisionomias do Cerrado:

Fitofisionomia cuja vegetação é composta por gramíneas. Nela, não há estrato lenhoso. É propícia ao deslocamento de animais, como tamanduá-bandeira e onça-pintada.

Campo Sujo

Conhecida como Cerrado Ralo, apresenta vegetação composta por plantas do estrato herbáceo, predominando os arbustos.

Cerrado Stricto Senso

Vegetação predominante no bioma. É constituída, em sua maioria, por espécies arbustivas e por árvores de pequeno porte. Seus arbustos não são densos e adaptam-se às condições ambientais. As raízes dessa vegetação alcançam os lençóis freáticos.

Mata Seca

Vegetação encontrada longe dos cursos d'água. Nela, é possível encontrar espécies como ipê e aroeira. Em decorrência da pouca disponibilidade de água, as árvores perdem suas folhas.

Cerradão

Vegetação que transita entre a Mata Seca e o Cerrado Stricto Senso. As espécies de árvores apresentam muitas folhas e ramos tortuosos. Apresenta vegetação com porte maior que o dos arbustos, podendo atingir até nove metros de altura.

Matas de Galerias

Vegetação conhecida como Mata Úmida. Encontrada ao longo dos cursos d'água, apresenta árvores de grande porte, que podem alcançar até 30 metros de altura. Os troncos são lisos, e as folhas são pequenas e verdes durante todo o ano.

Veredas

Vegetação bastante exuberante conhecida como Área de Várzeas. É encontrada em áreas de nascentes de diversas bacias hidrográficas. Uma das espécies de plantas predominantes é o buriti.

Cerrado Rupestre

Vegetação formada em ambientes com características rochosas, como em serras. As espécies encontradas nessa vegetação são: caju, papiro, murici, mangaba.

solos 4444.png

Importância do Cerrado

O Cerrado abrange uma área habitada há muitos anos, principalmente por populações indígenas, como os Karajás, Avá-Canoeiros, Xerentes. Essas populações extraem do próprio bioma os recursos naturais que garantem seu sustento.

 

Cerca de 200 espécies nativas do Cerrado apresentam não só potencial econômico, mas também medicinal. Segundo pesquisadores da Universidade de Brasília, espécies como alfavaca, assa-peixe, mangaba, erva-cidreira, poejo possuem fins terapêuticos. Algumas dessas espécies, inclusive, já foram patenteadas por indústrias farmacêuticas.

Em virtude dessa grande biodiversidade, por estar localizado em uma região de extremo potencial aquífero, abastecendo diversas bacias hidrográficas, e por abrigar diversas populações, é de extrema importância a conservação desse bioma.

Degradação do Cerrado

A devastação e a perda da biodiversidade já é uma realidade que assola o bioma Cerrado. Em cinquenta anos, a vegetação original foi reduzida em 50%, sendo que 30% da área foi destinada para fins pecuários.

O Cerrado é hoje o bioma que mais concentra atividades agropecuárias. Essa ocupação iniciou-se no ano de 1970, quando o governo passou a estimulá-la alegando que as características da área abrangida pelo Cerrado eram propícias ao desenvolvimento agrícola e à produção pecuária. Essas atividades intensificam a degradação do Cerrado, visto que seu desenvolvimento requer desmatamento de grandes áreas. Além de prejudicar a biodiversidade, em decorrência da falta de habitat, o desmatamento provoca também diversas alterações climáticas e descaracteriza a paisagem do bioma.

É importante ressaltar também que o bioma Cerrado compreende uma área formada por diversas bacias hidrográficas e por grandes aquíferos, representando cerca de 8% da disponibilidade de água a nível nacional. O desmatamento intenso provoca o assoreamento das áreas das bacias hidrográficas, o que acarreta contaminação das águas, principalmente em virtude do uso excessivo de agrotóxicos nas plantações.

Leia mais: A agropecuária e os problemas ambientais

Dia Nacional do Cerrado

O Dia Nacional do Cerrado é celebrado em 11 de setembro. Essa data é marcada por eventos e ações para promover a preservação desse bioma, que tem sofrido com a devastação de sua vegetação original em virtude da expansão do agronegócio. Calendários de estados brasileiros que abrangem o bioma contam com programas que celebram a importância do Cerrado para o país.

Resumo

O bioma Cerrado abrange cerca de 22% do território brasileiro, sendo considerado o segundo maior bioma do Brasil e da América do Sul. Repleto de biodiversidade, conta com uma fauna representada por espécies como lobo-guará e onça-pintada. Sua vegetação é bastante diversificada, apresentado variadas fitofisionomias com características específicas de acordo com a área abrangida. As árvores do Cerrado apresentam, geralmente, troncos grossos e tortuosos. O clima que abrange a área do bioma é tropical sazonal, com duas estações bem-definidas. Os solos são ácidos e pobres em nutrientes, por isso, necessitam de correção por meio de processos como a calagem. Toda essa exuberância e biodiversidade do Cerrado é ameaçada pela expansão das atividades agropecuárias.

ce10.jpg
Figura-31-Mapa-de-localizacao-do-Cerrado-e-demais-biomas-em-relacao-aos-limites-das.png
mapbiomas-brasil.png
ce6.jpg
cer6.jpeg
cer4.jpg
cer1.jpg
cer2.jpeg
cer3.jpg