PROJETO ARTES MARCIAIS 

Entendendo o Judô

 

Judô é um estilo de arte marcial esportiva de origem japonesa.

Como uma técnica de defesa pessoal, o judô destina-se não apenas ao desenvolvimento físico do judoca (praticante do judô), mas também o seu espírito e mente.

Existem várias regras de conduta e vestuário no judô. Para participar das competições, os judocas devem usar um kimono (originalmente chamado de judogi, que pode ser da cor branca ou azul) com a faixa correspondente a sua graduação.

As disputas de judô devem ser feitas num tatame – uma espécie de tapete quadrado – e o objetivo principal da luta é conquistar um ippon.

O ippon é um ponto completo nas regras do judô. O judoca que conseguir um ippon primeiro, vence a luta.

Para realizar um ippon, o judoca deve derrubar o adversário para que este fique imobilizado com as costas e ombros no chão por no mínimo 30 segundos.

O judô se originou como uma espécie menos agressiva do jiu-jitsu.

O seu criador foi o japonês Jigoro Kano que, em 1882, após pesquisar por diversos estilos de artes marcais, desenvolveu uma técnica de golpes onde o ponto chave era a inteligência acima da força física.

Na tradução literal do japonês, judô significa “caminho suave” ou “caminho da suavidade”.

A filosofia do judô está baseada nos três princípios que inspiraram Jigoro Kano: Princípio da Máxima Eficiência (Seiryoku Zen’Yo); Princípio da Prosperidade e Benefícios Mútuos (Jita Kyoei); e Princípio da Suavidade (Ju).

Em 1972, após 90 anos da sua criação, o Judô passa a ser oficialmente integrado na lista dos esportes olímpicos.

História do Judô no Brasil

O judo teria surgido no Brasil no começo do século XX, por volta de 1910 a 1920, por influência do aumento no número de imigrantes japoneses no país.

No entanto, apenas em 1954 foi registrado o primeiro Campeonato Brasileiro e Judô.

Em 1969 foi criada a Confederação Brasileira de Judô, visto que até então este exporte era regido pela Confederação Brasileira de Pugilismo.

Faixas de Judô

As faixas do judô simbolizam o nível da graduação do judoca dentro da arte marcial. As faixas são dividias em dois grupos: Kyu (iniciantes) e Dan(experientes).

As ordens e cores das faixas podem variar de acordo com a região em que o judô é praticado.

No Brasil, o judô tem 10 faixas no total: Branca, Cinza, Azul, Amarela, Laranja, Verde, Rosa, Marrom, Preta e Coral (Vermelha e Branca). A contagem das faixas é feita na ordem decrescente.

Kyu - Iniciante

Dan - Experiente

Pontuação do Judô

Além do Ippon, a modalidade de  pontuação no  judô, é o Wazari:  

  • Wazari: este golpe vale metade de um ippon (meio ponto), ou seja, quando aplicado duas vezes, garante um ippon completo. O wazari consiste num ippon incompleto, quando um dos judocas consegue derrubar o seu adversário, mas sem encostar os seus ombros totalmente no chão.

CERIMÔNIA DE TROCA DE FAIXA

No dia 25 de junho de 2019 às 16:00 horas, foi realizada a Cerimônia de Graduação - Troca de Faixas -, para os alunos que fazem parte da equipe de Judô do Colégio Militar Nivo das Neves.

A cerimônia contou com a presença dos 35 alunos,  dos professores de artes marciais BRUNO e BRENO e de nosso Mestre e Sensei Manoel BEZERRA, que no ato, estava representando a Federação Goiana de Judô.

 

Os nossos alunos e judocas receberam as faixas CINZAS das mãos de nosso Sensei Bezerra o qual ainda fez uma apresentação a todos os presentes, demonstrando assim seu amor incondicional a esta nobre arte.

XHQB5743.JPG
UOJB6188.JPG
USFQ1319.JPG
KFPE2363.JPG
KABT4957.JPG
WPBV1129.JPG

RELAÇÃO DOS ALUNOS GRADUADOS

M1 

DAVI LUCAS VIEIRA DE CASTRO

M2

ANA ROSA ANDRADE

JOÃO GABRIEL MORGADO DUARTE

JOÃO PEDRO SANTOS NASCIMENTO

JADES MATHEUS FERREIRA

M4

AGATHA CARVALHO DE OLIVEIRA

ANA CLARA SALGADO

ANA LIA CAVALCANTE B. Q.  DA SILVA

ANA SOPHIA GONZAGA DE CASTRO

GABRIEL HÉLIO ABREU TELES

HENRIQUE CARVALHO FRANCISCO

IGOR RODRIGUES CALAÇA

ISABELA ANDRADE

JOÃO PEDRO ROCHA DOS SANTOS

JULIA CRISTINA X. DE MORAIS

MARIA FERNANDA ALVES  FERNANDES

RAYNARA WESLEYANE F. FREITAS

RYAN WEBER VIEIRA DA SILVA

YASMIM MARTINS DA SILVA

A3

AMANDA VIEIRA DE CASTRO

ARTHUR ALEJANDRO R. BALMACEDA

ERIC MARTINS PIRES

ERICK NUNES DA SILVA

GABRIEL GONZAGA DE CASTRO

HECTOR RODRIGUES DA SILVA

ISADORA DA COSTA NASCIMENTO

LUCAS ALVES BRANDÃO RODRIGUES

LUIZ FELIPE SANTOS DA SILVA

MARIA GABRIELLY FRANÇA SILVA

THAUANY FERREIRA DOS REIS JUNQUEIRA

YASMIM SILVA CARDOSO

A5

HEBER OLIVEIRA DE MENEZES

JOÃO VITOR VIEIRA DE CASTRO

JOSUÈ SILVA MORAIS

JULIA GABRIELA GOMES VIEIRA

HAHO8478.JPG
TKOA2193.JPG
DKDZ7850.JPG
UNIR9918.JPG
DOHY3902.JPG
FMXH8019.JPG
HGSH4234.JPG
TIFM1140.JPG
MBOL2554.JPG
RITB1069.JPG
SEIR3801.JPG
XZKX6756.JPG
IBJZ6253.JPG
UYLN3401.JPG
XSMP2399.JPG
FKUZ2390.JPG
LOAZ6239.JPG
LUAE0658.JPG
BCIM7352.JPG
KTMX3272.JPG
XTGE6416.JPG
BOKU8940.JPG
OXGQ8952.JPG
ATKE9260.JPG

JIGORO  KANO

Uma Vida para o Judô 

Nascido em 28 de outubro de 1860, em Mikage, distrito de Hiogo, filho de Jirosaku Maresiba Kano, Jigoro Kano com apenas onze anos de idade transferiu-se para Kioto para estudar o idioma inglês, então indispensável para o progresso em qualquer sentido e que, possibilito mais tarde tornar-se professor e tradutor dessa língua e ainda, montar sua própria escola em Tóquio, o Kobunkan.

 

 Galgou um a um os degraus da Escala Imperial Japonesa, chegando ao segundo grau após sua morte, ocorrida em 04 de maio de 1938, portanto, com 77 anos de idade, quando voltava do Cairo onde participou da Assembléia Geral do Comitê Internacional dos Jogos Olímpicos.

 

Era de baixa estatura, medindo 1,50 metro e seu peso, proporcional a altura, não ia além de 50 quilos. Aos dezessete anos, teve seu primeiro professor, mestre Fukuda, da escola Coração de Salgueiro, depois mestre Isso, e ainda Likudo. Buscou conhecimento também em outras escolas, para tanto estudando com rara persistência, o que lhe permitiu um pouco mais tarde formar um conjunto de técnicas, regras e princípios que viriam a constituir o Judô que hoje conhecemos.

 

Formado pela Universidade Imperial de Tóquio, em Letras e ciências estéticas e morais, no ano de sua formatura em 1882, funda sua escola, o Kodokan, na qual pretendeu impulsionar um novo método de luta, mais esportiva, mais intuitiva, mais segura e sem os segredos que impediam uma divulgação generalizada, para que todos pudessem usufruir, desde criança até adultos de idade mais avançada.

 

Sua vida não ficou conhecida, nem marcada e não atingiu as culminâncias só através do Jiu-Jitsu e do Judô, mas a sua cultura lhe possibilitou galgar alto posto no Ensino, no esporte e no governo de seu país. Foi professor, vice-presidente e reitor do Colégio dos Nobres, Adido do Ministro da Casa Imperial, Conselheiro do ministro da Educação Nacional, Diretor da Escola Normal Superior e, ainda, secretário da Educação Nacional.

 

Fundou sociedades e institutos para jovens e também o primeiro clube de baseball do Japão. Editou revistas, viajou para Europa e América do Norte em missão cultural. Foi ainda Diretor da Educação primária, presidente do Centro de Estudos das Artes Marciais e o primeiro japonês a pertencer ao Comitê Olímpico Internacional e, ainda, presidente da Federação Desportiva do Japão.

 

Notadamente, para quem como Kano introduziu também o desporto e a Educação Física no plano educacional do Japão, fato esse que já seria suficiente para perpetuar seu nome como educador e como esportista. Leva Jigoro Kano o galardão de Pai da Educação Física do Japão. 

CEPMG NN

Escola de Civismo e Cidadania

Colégio Militar

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon