JIU5.jpg

ORIGEM DO JIU-JITSU

JIU2.jpg
JIU0.jpg

Jiu Jitsu é uma arte marcial de origem incerta. A tradução das palavras Jiu Jitsu é “arte versátil, suave”. No Jiu Jitsu usa-se a força e o peso do adversário contra ele, sendo permitido, inclusive, lançar o adversário em queda. São utilizados golpes traumáticos e de defesa pessoal (saídas de gravata, contra-golpes, esquivas). Porém, a principal caracteristica da modalidade são os golpes que buscam imobilizar e neutralizar o adversário, através de golpes de articulação, como estrangulamentos e torções das articulações, como braço, tornozelo, etc. É permitido o uso dessas técnicas de luta de chão, com ambos deitados.

São proibidas atitudes como: atingir os órgãos genitais, morder, enfiar os dedos nos olhos, puxar cabelo, torcer dedos, etc.

Quanto à origem do Jiu Jitsu, não há um consenso entre historiadores. A versão mais difundida entre o meio, é a de que o Jiu Jitsu teve origem no Japão. Uma outra versão, muito mais complexa, diz que o Jiu Jitso surgiu na Índia, onde era praticado por monges budistas. Segundo essa versão, o Jiu Jitsu foi levado então para a China, e depois para o Japão, por intermédio da expansão do próprio budismo. A terceira versão defende que o Jiu Jitso originou-se na China.

Já a origem do Jiu Jitsu no Brasil não é motivo de desacordo. O Jiu Jitsu foi trazido ao Brasil em 1915, pelo japonês Esai Maeda Koma, ou, como ficou conhecido, Conde Koma.

Em 1916, esse japonês conheceu Gastão Gracie, que se tornou um entusiasta do jiu-jitsu. Gaston, então, levou o mais velho de seus oito filhos, Carlos Gracie, então com 15 anos, para aprender a arte com o japonês.

Assumiu a profissão de lutador e professor de Jiu Jitsu, e, aos 19 anos mudou-se com a família para o Rio de Janeiro. Após algumas viagens para São Paulo e Minas Gerais, onde foi ministrar aulas e participar de algumas lutas, voltou ao Rio em 1925, e abriu a primeira Academia Gracie de Jiu-Jitsu, com seus irmãos Gastão e Oswaldo como acessores.

Os Gracie aprimoraram as técnicas do Jiu Jitsu, sendo que, a maior diferença para o Jiu Jitsu tradicional, é o fato de que os japoneses privilegiam as quedas, enquanto a técnica dos Gracie privilegia as lutas no chão. Atualmente, o Jiu Jitsu brasileiro é mais difundido que o original japonês, sendo inclusive, exportado para o Japão e para todo o resto do mundo.

JIU01.png

OS TRÊS PILARES

Os três pilares do Jiu-Jitsu são: a base, que seriam as pernas e os joelhos, que dão o equilíbrio e a sustentação para o lutador; a postura, que é regida pela cabeça; e o controle, que exige observação e o aprendizado das técnicas de dominação e imobilização.

BENEFÍCIOS PARA SEU FILHO

JIU7.jpg

  

  • Melhorar a concentração;

  • Proporcionar a  autoestima;

  • Reforçar a  disciplina individual e coletiva;

  • Maximizar o Espírito de equipe e de corpo;

  • Valorizar a  amizade e do  companheirismo;

  • Proporcionar o aprendizado da  resiliência;

  • Aperfeiçoar o reflexo;

  • Aumentar a coordenação motora e agilidade;

  • Fortalecer o vínculo de amizades entre os colegas

REGRAS DO JIU-JITSU

As posições de pontuação em campeonatos são:

Queda (2 pontos),

Passagem de guarda (3 pontos),

Joelho na barriga (2 pontos),

Montada pelas costas (4 pontos),

Pegada pelas costas (4 pontos)

Raspagem (2 pontos).

 

Os kimonos devem ser confeccionados em algodão ou tecido similar.

JIU-JITSU NO CEPMG

No CEPMG Nivo das Neves, o Projeto JIU-JITSU foi implantado no ano de 2017, tendo como professor o Sensei DIEGO GIULIANO, faixa preta 2º Grau. Vários alunos de nosso CEPMG se destacaram nesta nobre arte, tendo inclusive representado nosso Colégio Militar em várias competições a nível Estadual, Nacional e até Internacional. 

Hoje possuímos um JIU-JITSU muito forte e atuante em nosso CEPMG, sendo que este projeto tem contribuído para formar campeões e projetar nossa Instituição de forma positiva no contexto social.