CALDAS NOVAS - GOIÁS

        A cidade de Caldas Novas , situada na região sudeste do Estado de Goiás, fica a 165 Km da capital, Goiânia,  e é ligada à região Sudeste por rodovias modernas e bem cuidadas. Fica apenas há 68 Km da divisa do Estado de Minas Gerais e a 175 Km da cidade de Uberlândia-MG. Possui atualmente 93.000 habitantes e foi abençoada com uma geografia maravilhosa, como é o caso da Serra de Caldas, onde se localiza um Parque Estadual com belas cachoeiras e trilhas, parque este aberto à visitação pública. A cidade vive 100% do turismo, devido às suas águas thermais e uma vasta rede de hoteis, pousadas, resorts e clubes náuticos, possuindo ainda um moderno aeroporto equipado com os mais modernos equipamentos e com pousos e decolagens maximizados nas temporadas.

       Foi descoberta em 1722 por Bartolomeu Bueno da Silva (filho). Inicialmente pertencia a região de Santa Cruz, no sertão goiano, mas  logo chamou a atenção de lavradores que identificaram na região, várias fontes termais com propriedades terapêuticas de alto valor. Martinho Coelho de Siqueira dirigiu um movimento de criação de um povoado para exploração destas fontes, requerendo sesmaria. Em 1777, Martinho Coelho, enquanto caçava nas matas vizinhas, descobriu novas fontes às margens do Rio Pirapetinga, às quais deu o nome de Caldas de Pirapetinga, e outras às margens do Córrego Lavras, dando-lhes o nome de Caldas Novas.

     Após a morte de Martinho Coelho, seu filho, Antônio Coelho de Siqueira assumiu a administração da Fazenda das Caldas. Em 1818, recebeu a visita de Auguste de Saint Hilaire e do então Governador de Goiás, Capitão General Fernando Delgado Leite de Castilho, que se curou de paralisia e reumatismo em suas águas, tornando-as ainda mais conhecidas. Em 1838, a pedido do diretor da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, veio até Goiás, o dr. Vicente Moretti Foggia, para examinar as propriedades terapêuticas das águas da Fazenda das Caldas.

         Com a morte de Antônio Coelho, em 1848, a Fazenda das Caldas, com todas as fontes, foi vendida a Domingos José Ribeiro, que em 27 de Janeiro de 1850, doou uma parte da fazenda, às margens do Córrego Lavras, para a construção da Igreja de Nossa Senhora do Desterro, a padroeira da cidade. A Igreja foi elevada à categoria de Freguesia em 1853, tendo como primeiro vigário, o Cônego José Olinta da Silva, que em 1857 substitui a padroeira por Nossa Senhora das Dores de Caldas Novas, que pertencia ao julgado de Santa Cruz, passando ao de Pouso Alto em 1869 e voltando ao primeiro em 1870, ano da criação da primeira escola, tendo como primeiro professor, Limírio Ribeiro Quinta.

           Em 1880, o Capitão Cândido Gonzaga de Menezes, filho de Luiz Gonzaga, desagregou Caldas Novas de Santa Cruz e anexou ao município de Vila Bela de Morrinhos. Em 1893, foi elevada a Distrito e criada uma agência dos Correios, tendo como primeira encarregada Maria Carlota S. Miguel. Em 5 de Julho de 1911 foi criado o município de Caldas Novas, levando sua sede à categoria de Vila em 21 de Outubro de 1911, à categoria de cidade em 21 de Junho de 1923 e Comarca de 1ª Entrância em 15 de Junho de 1937. Caldas Novas hoje é conhecida internacionalmente pelas fontes termais, sendo considerada a maior estância hidrotermal do Mundo, contando com mais de 90.000 habitantes.

       Sabe-se que os primeiros habitantes desta região foram os índios da tribo caiapó e xavante. Em meio à aridez do sertão, esses índios viviam pacificamente. Como todos os nativos, andavam nus, alimentavam-se de caça e pesca, cultivavam, fabricavam suas armas, cerâmica, instrumentos musicais e trabalhos com fibra vegetal. No ano de 1722, Bartolomeu Bueno Filho, filho do ''Anhanguera'', teve o primeiro contato com esses índios quando aqui descobriu as fontes principais de Rio Quente.
      Seguindo os caminhos desse bandeirante, chega Martinho Coelho de Sirqueira a essa região, conhecida como Caldas de Santa Cruz.
    

         Desde o descobrimento das águas termais de Caldas Novas até a segunda década do século vinte, as pessoas tomavam seus banhos termais no córrego das lavras, hoje córrego das Caldas, que corta a cidade. Em 1910 foi construída a primeira casa de banho particular por Victor Ozeda Alla, mas foi em 1920, que o farmacêutico Ciro Palmerston construiu o primeiro balneário público, para atender à procura crescente de pessoas que vinham tratar da saúde. Os visitantes, chamados de ''aquáticos'', pela população local, costumavam se instalar em pequenos hotéis e pensões e se deslocavam para o balneário para tomar os banhos termais.            
         Em 1911, por ordem do Presidente do Estado, Urbano Gouveia, no dia 5 de julho foi nomeado Bento de Godoy como presidente da primeira intendência que foi instalada no dia 21 de Outubro. Desde então, nesta data se comemora o aniversário de Caldas Novas. 
         Foi durante sua administração (1911 a 1915) que Caldas Novas tomou um novo impulso para o desenvolvimento. A cidade crescia, graças à dedicação e grande força de vontade de Bento de Godoy, Orcalino Santos, Victor de Ozeda Allá, João Batista da Cunha, Joaquim Rodrigues da Cunha, José Teófilo de Godoy, Orcalino Costa, Josino Ferreira Brettas, Modesto Pires do Oriente, Joaquim Gonzaga Menezes, Luiz Gonzaga de Menezes, Orosimbo Correia Neto, Olegário Pinto, Orlando Rodrigues da Cunha (Mestre Orlando), Oscar Santos e Celso Godoy.

         A cidade recebe seus turistas de braços abertos, tornando-se assim, uma ótima escolha para estrangeiros e brasileiros oriundos de todos os Estados. O quesito segurança também é levado a sério, existindo aquí um Batalhão da Polícia Militar, um Batalhão do Corpo de Bombeiros e uma Companhia de Policiamento Rodoviário, tudo para garantir aos nossos turistas, a tranquilidade almejada. SEJAM BENVINDOS.

 


         

CEPMG NN

Escola de Civismo e Cidadania

Colégio Militar

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon