São animais que, por meio de um mecanismo de caça e defesa, são capazes de injetar em suas presas uma substância tóxica produzida em seus corpos, diretamente de glândulas especializadas (dente, ferrão, aguilhão) por onde passa o veneno. Esses animais agem por instinto de sobrevivência. Ao se sentirem ameaçados, imobilizam o agressor e fogem para um local seguro. Temidos pelo homem, os animais peçonhentos estão presentes tanto em meios rurais, quanto urbanos. Eles são responsáveis por provocarem inúmeros acidentes domésticos, em variadas regiões brasileiras, com índices crescentes ano após ano. Cobras, aranhas, escorpiões, lacraias, taturanas, vespas, formigas, abelhas e marimbondos são exemplos dessa categoria. Para que não se crie um medo inconsciente desses animais, é necessário um maior conhecimento a respeito do assunto.

Primeiramente, é fundamental diferenciá-los dos animais apenas venenosos. Sapos e borboletas possuem um mecanismo que age passivamente, ou seja, é preciso a interferência do predador para que o seu veneno, na maioria dos casos presente na pele, seja ativado. Veja um exemplo: uma serpente, ao tentar engolir um sapo, irá sofrer uma irritação em sua mucosa bocal causada pelo veneno expelido pela presa. Já os peçonhentos são aqueles que agem ativamente, tendo uma “ferramenta” para inocular o veneno em sua presa ou predador. Acompanhe outro exemplo: um escorpião se defenderá de um animal maior ao ferroá-lo com seu aguilhão.

 Outro detalhe importantíssimo de se salientar: esses animais agem por instinto de defesa. Geralmente, a maior parte dos acidentes ocorre por descuido ou imprudência humana. Ao colocar o pé no sapato sem olhar em seu interior, uma pessoa pode comprimir um animal que estaria alojado ali dentro, aumentando as possibilidades de uma picada como reação.Provocar queimadas nos entulhos de um terreno, pisotear e encurralá-lo oferecem riscos à sua vida. Não controlar a quantidade de baratas, moscas e pequenos roedores, propícios alimentos dos animais peçonhentos, aumentam a incidência de seu aparecimento, tornando-se um dos principais fatores dos índices de lesões causadas por eles.

PEÇONHENTOS MAIS COMUNS 

GÊNEROS DAS SERPENTES 

FOSSETA LOREAL

ESPÉCIES DE ARANHAS CURIOSAS

Viúva negra (Latrodectus sp.)
A viúva-negra é uma aranha muito conhecida, tanto pelo fato de devorar o macho após o acasalamento como também por seu “veneno muito potente”. Essa aranha vive em teias que constrói sob a vegetação rasteira, arbustos e barrancos e, embora cada uma viva em sua própria teia é comum encontrar aglomerados de teias. . 

Uma aranha-lobo que  não se encaixa no arquétipo tradicional das aranhas. Por exemplo, ela não produz teia e, exatamente por isso, não tem como "guardar" as presas. Uma característica desse animal — tão importante a ponto de dar nome a ele — é que esse tipo de aranha fica à espreita como se fosse um lobo. Inclusive, o nome científico da aranha-lobo é Lycosidae ("lobo" em grego). O veneno de uma aranha-lobo quase não tem efeito em humanos, e o animal não é agressivo.

 

Aranha de grama: é uma aranha bem pequena, não ultrapassando 3 cm de tamanho. Ela possui pelos vermelhos e a cor do seu corpo é marrom com uma pequena mancha mais escura. Essa mancha pode lembrar vagamente a forma de uma flecha. Seu veneno é dolorido mas não causa problemas aos seres humanos. Só ataca se for pisada.

 

 

Englobam diversas espécies e também são conhecidas como aranhas-de-pássaros, sendo artrópodes bem grandes e que, em alguns casos, ultrapassam os 10 centímetros. O veneno delas é capaz de matar pequenos mamíferos e crianças – por isso, o cuidado com os bebês deve ser redobrado nas regiões em que elas existem Felizmente, elas vivem somente no sul asiático.

 

Felizmente, esses aracnídeos estão em áreas desérticas e pouco habitadas por nós humanos, como os desertos da África e Ásia. O veneno é bastante poderoso, de efeito semelhante ao proporcionado pelas aranhas-reclusas, porém não possui qualquer tipo de antídoto. As picadas causam necrose do tecido cutâneo e sangramento pelos orifícios do corpo e podem levar à morte.

 

Típicas da Austrália, essas aranhas são conhecidas por ter presas bem grandes que podem chegar a 2 centímetros. O veneno que carregam é muito poderoso, considerado um dos mais fatais do mundo. Apesar de existir um antídoto para o veneno, ele deve ser aplicado rapidamente (em questão de horas), já que as pessoas podem ter sequelas permanentes ou entrar em óbito.

 

Essas aranhas não são muito venenosas, apesar de carregarem boas quantidades de veneno. Não se preocupe: caso você seja picado por elas, dificilmente irá morrer ou ter complicações sérias. Entretanto, em alguns casos mais graves, as picadas delas podem causar necroses ao redor do local mordido. Felizmente, elas só vivem no sul dos Estados Unidos.

 

Encontradas no sul dos Estados Unidos e no oeste da América do Sul, essas aranhas são consideradas bastante venenosas. Por sorte, nós não precisamos nos preocupar muito com elas, já que suas presas são bem pequenas e não conseguem penetrar nas roupas de tecidos mais finos – restando somente alguns pobres animais de vítimas para elas.

 

Atrax robustus é uma aranha considerada das mais venenosas do mundo. A espécie é nativa do continente australiano. A mesma é dotada de um veneno extremamente tóxico para os humanos. Curiosamente, cães são imunes ao veneno da aranha-teia-de-funil.

O veneno da fêmea é 6 vezes mais letal para os humanos que o veneno do macho da mesma espécie.Quando penetra na corrente sanguínea, o veneno pode ocasionar um infarto, porém, a mesma é considerada apenas uma das aranhas mais perigosas do mundo. Em casos confirmados de morte, desde que criaram o soro para o seu veneno, em 1980, nunca houve incidência de óbitos

 

Conhecida como aranha-golias-comedora-de-pássaros, ela é nativa do norte da Amazônia brasileira, Suriname, Venezuela e Guiana. Trata-se da maior espécie de tarântula do mundo — Theraphosa blondi — e do maior aracnídeo em massa corporal, podendo ultrapassar os 30 centímetros! O comportamento das aranhas-golias é considerado bem agressivo, e suas picadas, apesar de seu veneno não ser muito tóxico para os humanos, podem provocar náuseas, sudorese e muita dor, e os pelos presentes em seu abdome e patas podem provocar muita irritação cutânea e nas vias respiratórias

 

ESPÉCIES DE SAPOS VENENOSOS

Tamanho não é documento. Nosso planeta está repleto de pequenos seres que podem ser muito poderosos, alguns ainda nem conhecidos pela ciência. Os pequenos sapinhos coloridos são criaturas belíssimas mas podem ser muito perigosos. Confira a listas com os mais perigosos do mundo, com venenos que podem matar um ser humano.

Dendrobates leucomelas

 

Dendrobates leucomelas é uma espécie venenosa, que pode ser encontrada ao norte da América do Sul. Esse sapo prefere condições de muita umidade, como rochas e árvores. Por baixo, a pele do sapo fica cheia de glândulas com substâncias altamente venenosas.

 Epipedobates tricolor

 

Apesar de parecer grande pela fotografia, o sapo da espécie Epipedobates tricolor alcança apenas 1 centímetro quando adulto. Sua toxidade é suficiente para matar diversas pessoas e sua pele é cerca de 200 vezes mais tóxica do que uma dose de morfina. Ele é encontrado nas encostas ocidentais dos Andes, no Equador e na América do Sul.

 Dendrobates tinctorius

 

O Dendrobates tinctorius (sapo garimpeiro) vive em florestas tropicais do Suriname, Guiana Francesa e norte do Brasil. Esta espécie faz parte de um grupo de anfíbios anuros  bem “famosos” por terem a pele bastante colorida e muitos deles possuírem veneno, sendo alguns bastante tóxicos aos animais e ao homem. Eles podem atingir até 5 centímetros de comprimento, são ativos durante o dia e possuem hábitos terrestres. 

 Ranitomeya reticulatus

A Ranitomeya reticulatus é uma espécie de anfíbio da família Dendrobatidae que vive na América do Sul. O veneno desse sapo é capaz de provocar danos graves para os seres humanos e morte em animais.

Dendrobates Azureus

 

O pequeno sapo da espécie Dendrobates azureus também é conhecido como sapo-boi-azul. É encontrado no Suriname e sua cor forte serve como defesa contra os predadores, alertando sobre seu veneno toxico ultra potente.

Bem menor do que a palma de uma mão, o sapinho pode parecer inofensivo no primeiro momento mas possui veneno suficiente para levar 10 pessoas a morte. Algumas tribos de índios colombianos já utilizaram seu veneno mortal em pontas de lanças. 

Phyllomedusa bicolor

 

A Phyllomedusa bicolor é uma rã muito encontrada na Amazônia, no nordeste do Brasil e na vegetação ribeirinha do Cerrado. As secreções da pele da barriga da rã são usadas por algumas tribos indígenas para acabar com a má sorte. Os sintomas apresentados no envenenamento pelas substâncias são diarreia, vômito e taquicardia.

Oophaga pumilio

 

A Oophaga pumilio é uma espécie que possui grande variação de cores e muita toxicidade do seu veneno. Ele vive na América Central, principalmente na região de Nicarágua, Costa Rica e Panamá.

Phyllobates terribilis

 

Esta simples rãzinha é uma das criaturas mais venenosas que existem neste planeta. O nome da espécie é Phyllobates Terribilis – O “Terribilis” tem um certo sentido de ser, porque o veneno alcalóide desta rã, causa parada respiratória imediata e um único adulto do P.Terribilis tem homobatracotoxina suficiente para matar 20.000 cobaias ou 100 pessoas!

Para se ter uma idéia do veneno, galinhas e cães que entraram em contato com um papel toalha onde o sapo andou morreram.

O veneno P. Terribilis, a homobatracotoxina é extremamente rara na natureza, só sendo encontrada em outros três sapos da Colombia e dois pássaros venenosos de Papua, na Nova Guiné.

ESPÉCIES DE FORMIGAS VENENOSAS

A tocandira -  Paraponera clavata, - também conhecida como formiga-bala - é considerada uma formiga primitiva, e possui um ferrão no abdome, como uma vespa. Seu veneno neurotóxico é envolto em mistério e sua ferroada considerada a mais dolorida de todos os insetos do mundo. De fato, um pesquisador chamado Justin Schmidt se deixou ferroar por 150 espécies de insetos e criou a Schmidt Sting Pain Index, no qual as dores são ranqueadas em notas de 0 a 4. A tocandira ficou no grau máximo.

Pogonomyrmex maricopa é uma das formigas mais comuns do Arizona (E.U.A).
O veneno contido na picada desta formiga é equivalente ao de doze picadas de abelha. O processo da picada é efetuado em duas partes em que a formiga morde e segura com suas mandíbulas e aplica o ferrão. Esse método permite que ela injete veneno repetidas vezes na mesma região. Apesar disso, essas formigas cortadeiras desempenham um papel importante na decomposição , arrastando cadáveres de insetos para o subterrâneo e enriquecendo o solo para as plantas e as colheitas.

 

Myrmecia pilosula, também conhecida como 'jack jumper', é uma espécie australiana de formiga reconhecida por sua agressividade, capacidade de saltar e por seu veneno potente. As espécies Myrmecia são distintas na aparência, e são facilmente reconhecidas por suas longas mandíbulas fortemente dentadas, dirigidas para frente; seus grandes olhos altamente convexos, são posicionados anteriormente. São bastante agressivas e sua picada pode  induzir ao choque anafilático.

A formiga-de-fogo  - Solenopsis  - é uma formiga  nativa da America do sul  

    ( Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai). É atualmente uma das mais importantes pragas invasoras em alguns lugares do planeta.

Está espécie é agressiva e tem picadas dolorosas, e no Brasil é conhecida como formiga lava-pé. As duas espécies mais importantes são a Solenopsis Invicta originária da Região Sudeste e Centro Oeste e a Solenopsis Richteri, nativa dos pampas gaúchos.

 

Dinoponera gigantea é uma das maiores espécies de formiga do mundo. As fêmeas da espécie são maiores que os machos, com comprimento variando de 3 a 4 centímetros. As fêmeas tem cor preta, enquanto os machos apresentam uma coloração vermelho escuro. Também é conhecida por falsa-tocandira.

É portadora de um potente ferrão que usa para injetar um líquido altamente mortal em suas presas, como baratas, besouros e até mesmo pequenos lagartos que cruzem o seu caminho.

Encontrada apenas na região amazônica em ambientes com florestas de várzea.

A Dorylus é nativa das densas florestas africanas e sua mordida é conhecida como uma das mais mortais e dolorosas, literalmente tirando sangue a cada picada. Normalmente, só atacam animais selvagens ou humanos que por acaso parem para descansar perto de seu formigueiro. Quando juntas, uma colônia dessas formigas pode pesar mais de 10 toneladas. Além das feridas superficiais, uma vez que a presa está suficientemente fraca, ela rasteja pelo esôfago e sufoca a vítima. É importante se manter atento durante caminhadas nas florestas da África, e só pare para descansar em áreas aprovadas por um guia. É conhecida também como formigas safari  ou Siafu.  Cada colônia pode conter mais de 20 milhões de indivíduos. Tal como acontece com os seus homólogos do Novo Mundo, há um soldado de classe entre os trabalhadores, que é maior, com uma grande cabeça e pinça como mandíbulas . Eles são capazes de picadas , mas muito raramente o fazem, contando apenas com as suas poderosas mandíbulas de corte. 

CEPMG NN

Escola de Civismo e Cidadania

Colégio Militar

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Instagram Social Icon